SÉRIE NEÛRON

 

 

A Série Neûron – nascida na década de 10 do século XXI, em São Paulo – tem o propósito de reunir obras representativas da arte cerebral brasileira, aquela que prefere o nexo ao plexo. Na cena Contemporânea, esta sorte de arte é taxada de academicista, fria e, no último grau da estupidez, mecânica. O cérebro, porém, não é inimigo do humano, mas a única porta para escapar da mesmice hodierna, da embriaguez dos sentimentos e, segundo o filósofo Ricardo Rizek, da subjetividade vulgar. O pensamento é sempre concebido na matriz de uma forma: linguagem verbal, sinfonia, tela, tragédia, programação computacional e soneto… até a conversa do dia a dia tem suas formas. Ausência de forma é bestialidade. As linguagens são suporte do pensamento, fonte e desenvolvimento de todas as coisas. Pensar é sempre pensar em estruturas, aboli-las é abolir o pensamento: desvario, vã tentativa de transcender a intransponível condição (por enquanto) humana. Em cada uma de suas publicações, a Série Neûron busca dialogar com diferentes dimensões da mente. Caro leitor, fica aqui nosso convite para embarcar a psykhé nessa viagem…

 

Nas subseções da Série Neûron, você encontrará:

 

Maximalistas – livros dos poetas do movimento maximalista.

Literatura Contemporânea – livros de autores célebres das poéticas experimentais.

Memória da Literatura – reedições de obras do cânone da literatura brasileira. (em breve)

Revista Neûron – a revista anual do movimento maximalista.

Revista Prometheús – a revista anual de arte BDSM do Grupo Neûron. (em breve)

Neûron Clandestina – obras de autores polêmicos que optaram pelo anonimato.